domingo, outubro 23, 2011

Sutilmente.


(Imagem: Google).

Sutilmente

Antes que eu me desespere,
tome meus desejos,
engula minhas vontades, uma a uma,
e aprove a loucura
que eu trago presa nos olhos.
Deixe-me úmida,
fruta pronta para seus lábios.
Desnorteei meus rumos,
desoriente meus pensamentos.
Quero enlouquecer em sua cama,
perder-me em seus abraços.
Capte a delicadeza de minha fome de amar,
lace noites acesas aos nossos corpos candelabros,
alumia-me de dentro para fora com seu gozo.
Imperfeita que sou, ouça meu grito de prazer,
musical sentença aos seus ouvidos.
Devore meu querer, dome minha rebeldia,
devagar, recomece como bem sabe.
Olhe profundamente meu deslizar no colchão,
toma-me sua brincadeira preferida
e, assim, serei em suas mãos,
o dado que acaricia
antes de lançá-lo ao seu destino.
Sabendo manipular-me,
prazerosamente, terá imensa sorte:
sua mulher, de dama a puta,
serei por todo o sempre, ternamente.


Eliane Alcântara.

Um comentário:

Geraldo Mendes disse...

Por certo, há de ser seu servo, quem, em deleite, de ti se serve...

Sutilmente quente e intenso seu escrito!!!
ovenoBjo bom...