terça-feira, abril 12, 2011

Não são eternas as conquistas.



Não são eternas as conquistas.



Falta em meus lábios o beijo primeiro,

aquele que eu apenas sonhei.

O doce gosto do amor eterno

que já nem sei se o alcancei ou alcançarei.


De andar em olhares perdidos

penso que me perdi nos carinhos efêmeros,

nas loucuras das promessas deslizantes

que nunca ousaram ser raízes.


Dopada de mim, de esperas tamanhas,

resta no caldo das horas segundos tristonhos,

e a que momentaneamente agora sonha

explode em alegria a verdadeira ilusão.


Há em meu peito o contraste das coisas,

a estrada dos loucos, dos observadores os passos.

É que sou persistente fogueira,

ardo onde não imaginam.


Falta-me algo, estar completa seria o fim.



Eliane Alcântara.

2 comentários:

Zé Paulo Guerreiro disse...

Excelente texto

Posso publicar no meu blog? Obviamente citando a fonte e deixando um link para seu blog.

Eliane Alcântara. disse...

Óbvio que sim, Zé Paulo, e obrigada pela atenção : )