quinta-feira, fevereiro 10, 2011

Seja autêntico (a).



(Imagem: Google).


Seja autêntico (a).


Não pedi para ser quem sou,

não pedi para ser suficiente,

pouca importa os que não gostam,

antes sou eu com minhas alegrias.


Os que invejam-me não lutam,

olham abatidos o que sonham

na carne e espírito que a mim cabe.


Deles não rio nem nada digo,

não vale a pena olhar a insignificância.

Dou a volta por cima sem remorsos.


Estrelas brilham a céu aberto,

uns admiram-nas, outros remoem sua magnitude.

Eu as colho e as guardo no coração,

aprenda a diferença e seja feliz.


Há espaço no mundo também para você.

Divirta-se – longe de mim!


Eliane Alcântara.

2 comentários:

Poemas e Amizades disse...

Eliane,
Desejo a você um maravilhoso dia da mulher internacional que você é. Não me equivoquei na ordem das palavras. A você, o meu beijo carinhoso. Todos os dias do ano são seus, não apenas este.
Um beijo carinhoso!
Lello
P.S. - Volto, com certeza, para comentar!!!

Poemas e Amizades disse...

Excitante poema! Excitante porque tão discursivo em quase toda a sua extensão, tão geral, e, de repente, tão pessoal, tão passional!
Talvez a insignificância aparente a meio poema seja na verdade mais significância que se desejaria...
E, talvez, porque as estrelas brilhem para uns admirarem, outros remoerem, e alguém as guardar no coração, deva outro alguém aprender sobre alguma estrela que se apagou em seu céu, ou que ele fez apagar-se no dela...
Só poemas belos e intensos nos fazem conjecturar tanto assim.
Você é uma autora extraordinária. Pena não conhecê-la melhor.
Eu amo esse blog!
Um beijo carinhoso
Lello