quarta-feira, outubro 20, 2010

Por agora...

(Imagem Google).

Por agora...


Preciso imediatamente de um silêncio louco,

de muito e pouco do seu jeito,

boca gulosa, febre contínua...


[Em seu peito minhas loucuras, céu aberto],


Seus dedos ligeiros segredos,

gigantes mansos e delicados a fechar-me

nos sonhos eróticos/ternos de nós dois...


[Meu fogo de Eva em suas pernas, mares unidos],


Gemido profundo, do fundo,

instante em que me faz sorrir e eterniza

o cuidado com o que há de líquido em nós...


[Vadia anoiteço em seus olhos, estrelas de sempre],


E cada suspiro noturno, comboio de emoções,

eu bebo e saúdo a necessidade de consumi-lo paraíso,

medida bem-vinda ao meu desejo...


[Tara, paixão, tesão...]


Eliane Alcântara.

3 comentários:

Jorge Sader Filho disse...

Sensual... Gostoso de ser, imaginar a fêmea angustiada querendo! Excelente.

Beijos,
Jorge

Poemas e Amizades disse...

Seus poemas são um alvoroço! Há um acentuado calor a permear todas as palavras e versos, quase uma ansiedade, uma volúpia inquieta e inquietante! Seus poemas são um atentado, menos ao pudor, mais à frieza distanciada da leitura ou do comentário neutro. Isso, um atentado! Mentes são aprisionadas, sequestradas, presas, e torturadas...
Mas não reclamam disso!
Um beijo carinhoso
Lello

Poemas e Amizades disse...

Li!!!
Desejo a você um feliz Natal e um Ano de 2011 maravilhoso para você! Que você continue sendo essa pessoa especial e diferenciada! Você é muito especial!!!
Um beijo carinhoso!
Lello