segunda-feira, novembro 02, 2009

Não queiras...


(Foto de Fernando Rozano com sobreposição
de uma imagem minha).

Não queiras a morada dos meus olhos
Esta não é doce nem oásis
Antes é inferno e purgatório
A desvendar a fome de prazer.

Já o piso das minhas pupilas
É saia que o vento levanta
A buscar metade do paraíso
Averbada a tua carne.

Eliane Alcântara.

Um comentário:

Poemas e Amizades disse...

Li cuidadosa e atentamente a expressão crítica dos seus trabalhos e humildemente concordo com cada palavra...
Os poemas são muito especiais, realmente. Como este. A provocação dos sentidos e dos instintos, as cadeias intelectuais... Tudo isso amarra o leitor incondicionalmente, goste ele de que estilo, métrica, disposição, forma, vocabulário ou figura gostar. Parabéns.
Marcelo Bandeira